Brasília, 17 de dezembro de 2018 - 02h05
Entre dois mundos: o Brasil deve priorizar os Estados Unidos em prejuízo das relações com a China?
Poucos anos após o nascimento da República, o Brasil olhou para o Norte em busca de inspiração. O Barão do Rio Branco, que assumiu o Ministério das Relações Exteriores em 1902 e se converteu com o passar dos anos em um ícone da política externa nacional, era considerado um americanista....
Síria: a hora do retorno e a comunidade internacional
Marcelo Rech Em 2011, a Síria tornou-se palco de uma guerra que, em pouco mais de 7 anos, já deixou mais de meio milhão de mortos, além de ter deslocado forçosamente cerca de 7 milhões de pessoas que se encontram refugiadas em 45 países, incluindo o Brasil. Desse total, 2 milhões de...
Bolsonaro e as novas políticas do Brasil
Alexandre Reis Rodrigues Por mais que o Presidente Lula tenha feito para ajudar os mais desfavorecidos com benefícios sociais – e foi bastante, no seu primeiro mandato – não chegou para compensar o falhanço total das presidências do PT (as suas e a de Dilma Rousseff) no campo económico, no combate...
Prioridades, desafios e considerações sobre o novo governo e sua futura Política Externa
Fernanda C. Prudy Costabile Muito se discute sobre como será a Política Externa do Governo que se iniciará em janeiro de 2019. O Itamaraty tem uma política de Estado e não de Governo, que foi respeitada nas mais diferentes épocas e regimes políticos do país, o que leva a crer que,...
Ruídos diplomáticos
O presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou nesta semana que irá transferir a sede da Embaixada do Brasil em Israel, de Tel Aviv para Jerusalém. Disse ainda que cogita cortar relações com Cuba e Venezuela. Suas declarações, claro, provocaram muitas reações. A Política Externa Brasileira sempre se pautou pelo equilíbrio e anúncios...