UNASUL vai adotar transparência em gastos militare
24/11/2010
PALAVRAS DO MINISTRO DA DEFESA, NELSON JOBIM, NA I
24/11/2010

Polêmica

Oposição quer mudar Tratado que cria a UNASUL

O deputado Emanuel Fernandes (PSDB-SP), presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, da Câmara dos Deputados, defendeu que o Tratado Constitutivo da União de Nações Sul-Americanas (UNASUL) tenha alguns artigos modificados antes de ser aprovado no Congresso.

Ele pretende se reunir com as lideranças do colegiado para estudar a possibilidade de modificar dois pontos polêmicos do texto.

De acordo com o parlamentar, é preciso rever o artigo que estabelece a criação do Parlamento Sul-Americano e os critérios de definição do representante brasileiro na entidade.

Segundo ele, “a proposta da UNASUL tem algumas questões que são bastantes controvertidas, como a localização da sede, que seria implantada em Cochabamba. A outra questão é se a burocracia indicará o representante brasileiro no parlamento”, enfatizou.

O artigo que estabelece a criação do Parlamento Sul-Americano se tornou polêmica tanto na Câmara quanto no Senado.

A idéia é criticada pela oposição e inclusive por representantes do próprio governo. Os parlamentares a consideram redundante devido à existência dos parlamentos do Mercosul e Andino.

O Itamaraty queria que o Tratado fosse ratificado antes da Cúpula de Chefes de Estado da UNASUL, que será realizada no dia 26, na Guiana.

Sem acordo entre os líderes, a proposta terá que ser aprovada por maioria simples na Câmara e depois no Senado.

O tratado prevê a coordenação política, atuação para a integração econômica e cooperação em questões como defesa, segurança, migração e inovação científica entre os países integrantes. 

Emanuel Fernandes afirmou ainda que tentará ser ágil na modificação dos temas controversos para que a proposta seja aprovada na comissão da Câmara.

“Estamos tentando resolver a situação e encontrar uma saída, mas o governo não tem feito força para que isso aconteça. Vou conversar com as lideranças da comissão que têm se posicionado contra para ver se conseguimos resolver esse impasse”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *