Missão empresarial busca aumento de comércio com O
08/04/2010
Aliança Atlântica fortalece domínio norte-american
08/04/2010

Oriente Médio é tema de cúpula do Ibas

Oriente Médio é tema de cúpula do Ibas

Nos dias 15 e 16 de abril, os Chefes de Estado dos países que integram o Ibas – Índia, Brasil e África do Sul, se reúnem em Brasília onde também desembarcará o ministro de Relações Exteriores da Palestina, Riad Malik.

Ele vai tentar sensibilizar os presidentes dos três países para que se envolvam de forma mais concreta nas negociações de paz entre israelenses e palestinos.

O encontro do Ibas também vai debater o programa nuclear do Irã, informou o embaixador Roberto Jaguaribe, Subsecretário-Geral Político, do ministério das Relações Exteriores e coordenador do fórum.

De acordo com Jaguaribe, “o Ibas pode ter um papel importante com imparcialidade e equilíbrio no entendimento Palestina-Israel. Há uma frustração de ambos os lados. A nossa leitura é transcender a questão”.

Paralelamente à cúpula nuclear que estará sendo realizada em Washington, os presidentes de Brasil, Índia e África do Sul, vão conversar sobre o programa nuclear iraniano quando Lula voltará a defender o diálogo com Teerã.

Jaguaribe descartou que o Brasil vá assinar qualquer documento relativo ao Tratado de Não Proliferação Nuclear (TNP).

Os países do Ibas pretendem definir uma estratégia comum para atuar em 16 áreas, incluindo o comércio.

O Ibas é uma iniciativa diplomática que começou em 2003 por iniciativa do governo da África do Sul com a intenção de criar mecanismos capazes de se contrapor a outros grupos, como o G8 – grupo dos países mais industrializados e a Rússia.

Brasil terá acordo comercial com a China

Na próxima semana, os presidentes Lula e Hu Jintao, devem assinar um acordo para a criação do Programa de Ação Conjunta Brasil-China (PAC), com o propósito de fortalecer o comércio bilateral.

Negociações neste sentido com a Índia foram adiadas. Brasil e Índia têm divergências quanto aos temas nucleares.

“É um passo importante assegurando um avanço nas relações. A partir de 2016, a China é um país de economia de mercado”, afirmou o embaixador Roberto Jaguaribe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *