Agenda

Estado Paralelo
27/09/2016
Estratégia
27/09/2016

Infraestrutura

Para Bolívia, Trem Bioceânico é questão de formalidade

Brasília – O vice-presidente da Bolívia, Álvaro García Linera, afirmou nesta segunda-feira, 26, que a construção do Trem Bioceânico é uma questão de formalidades, pois tanto Brasil como Peru consideram o projeto prioritário. Na semana passada, empresas chinesas envolvidas nos estudos avaliaram em US$ 60 bilhões a construção da ferrovia ligando o Brasil até o Pacífico cortando os territórios da Bolívia e do Peru.

Segundo Linera, “o sensato, o correto e o viável é a ferrovia que passa pela Bolívia. Faltam formalidades. Há vontade do Brasil e há vontade do Peru. Eu acredito que é um tema de meses”, afirmou. Na sua avaliação, “a ferrovia pela Bolívia é mais barata, mais rápida e não gera problemas ambientais”.

Álvaro García Linera também elogiou o presidente peruano Pedro Pablo Kuczynski que, apesar dos valores elevados da obra, não desistiu do projeto. “Tenhamos um pouco de paciência”, pediu Linera.

De acordo com o governo boliviano, as obras do Trem Bioceânico que inclui Bolívia, Brasil e Peru, beneficiarão indiretamente a Argentina, o Paraguai e o Uruguai.

A ferrovia teria início no Porto de Santos (SP), passaria pelo território boliviano e chegaria até o Porto de Ilo, no Peru, unindo o Atlântico com o Pacífico. Os custos estimados pela Bolívia seriam de cerca de US$ 14 bilhões e, segundo La Paz, Alemanha, China e Índia estariam interessados em executar a obra.

A Bolívia está preocupada com a retomada das negociações entre Argentina, Brasil, Chile e Paraguai, para a construção de uma ferrovia que também unirá Atlântico e Pacífico, passando pelo Chaco paraguaio, o norte argentino e chegando aos portos chilenos.

Rodovia

No dia 4 de novembro, autoridades da Bolívia e do Peru voltam a se reunir para discutir detalhes das obras da rodovia que ligará La Paz até o Porto de Ilo, no Peru, denominada rodovia internacional “Heróis do Pacífico”.

Na oportunidade, os dois países também tratarão do corredor bioceânico e a construção do Porto Almirante Grau, em Ilo. A ideia é ter a rodovia pronta até 2018 para facilitar as exportações e importações de ambos os países.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *