Relações Exteriores

XI ENEE
20/11/2011
Honduras compra armamento de Israel
20/11/2011

Paraguai chama de provocativa presença militar do

Paraguai chama de provocativa presença militar do Brasil na fronteira

Brasília – Representantes paraguaios no Parlamento do MERCOSUL criticam a presença militar do Brasil na fronteira entre os dois países e reclamam que a atitude é provocativa e intimidadora.

Para o deputado Alfonso González Nuñes, a “imponente” maquinaria bélica – carros de combate e armamentos pesados – e os grandes efetivos instalados nos limites fronteiriços é uma ilegalidade já que à região está vedada a ocupação militar.

Nuñez afirmou ainda que o MERCOSUL é também conflito de interesses ou uma guerra não declarada. Na sua avaliação, o Brasil usa como pretexto a necessidade de combater o contrabando, o que seria injustificado.

“Tomam praticamente por assalto o acesso à Ponte da Amizade, perpetrando um abuso contra a nossa soberania, o que configura um novo atropelo ao Tratado de Assunção e às demais normas que regulam a integração”, destacou.

A representação paraguaia no Parlamento do MERCOSUL assegura que o Brasil ofende o Paraguai ao empregar efetivos do Exército, Marinha e Força Aérea, pois o que era algo esporádico transformou-se em permanente.

Na prática, o que preocupa o Paraguai é a redução no número de turistas que atravessa a Ponte da Amizade. Isso reduz significativamente o comércio do lado paraguaio, em Ciudad Del Este.

Alfonso González Nuñez explicou que a população local sofre perdas irreversíveis em conseqüência da “estratégia agressora do desconsiderado sócio que, de novo, incorre num ato que desqualifica os princípios da boa vizinhança e de respeito a um genuíno processo de integração regional”. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *