Relações Exteriores

Comércio e Integração
17/07/2015
Integração Regional
17/07/2015

Hidrovia

Paraguai destaca conectvidade com o Brasil para ter acesso ao Atlântico

Brasília – O ministro de Relações Exteriores do Paraguai, Eladio Loizaga, esteve reunido nesta quinta-feira, 16, com o chanceler brasileiro Mauro Vieira, com quem discutiu temas da agenda bilateral antes das reuniões do Mercosul. Segundo ele, a conectividade que o seu país está impulsionando com o Brasil permitirá que o Paraguai tenha um maior acesso aos portos brasileiros no Oceano Atlântico.

Segundo ele, “no que diz respeito aos temas bilaterais, o tema da conectividade do Paraguai com o Brasil, tendo em conta que somos um país mediterrâneo, é fundamental. Por isso, estamos discutindo a possibilidade de que o Paraguai possa ter acesso a um maior número de zonas portuárias brasileiras do Atlântico”.

Loizaga destacou ainda os avanços em termos comerciais e anunciou para o dia 27, a próxima reunião de monitoramento comercial que será realizada no Paraguai. Na ocasião, o Secretário-Executivo do ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Ivan Ramalho, representará o Brasil acompanhado de uma comitiva de empresários que terão uma rodada de negócios com seus pares paraguaios.

O Paraguai está especialmente interessado em investimentos privados nos setores têxtil e confecções, peças, plásticos, metal-mecânico, carnes e grãos. Além disso, os paraguaios pretendem potencializar a hidrovia Paraná – Paraguai, para conferir maior competitividade, mediante a livre navegação e o transporte fluvial na região.

Eladio Loizaga esteve acompanhado do embaixador paraguaio no Brasil, Manuel María Cáceres, e do vice-ministro de Relações Econômicas e Integração, Rigoberto Gauto.

No desenvolvimento da agenda bilateral, os dois chanceleres revelaram que os estudos técnicos relativos à construção de novas pontes, entre Carmelo Peralta e Puerto Murtinho, sobre o rio Paraguai, e entre San Lázaro e Puerto Murtinho e entre San Carlos e Caracol, sobre o rio Apa, terão início nas próximas semanas. Ficou acertado ainda que as obras da segunda ponte sobre o rio Paraná terão início no segundo semestre em evento que contará com as presenças dos presidentes Horácio Cartes e Dilma Rousseff.

Mercosul

Sobre a Cúpula do Mercosul, Eladio Loizaga destacou que o bloco vive um momento de intenso aprofundamento não apenas nas questões comerciais e econômicas, mas também no que diz respeito à cidadania e aos temas sociais.

No entanto, reconheceu que o principal desafio paraguaio à frente do bloco será conduzir as negociações do acordo de livre comércio com a União Europeia. “Tivemos uma reunião em Bruxelas e vamos ter uma reunião intra Mercosul em agosto. Posteriormente, estaremos com técnicos da UE para irmos avançando. Além disso, receberemos um mandato dos demais parceiros do bloco para dinamizar o comércio interno”, explicou.

Mauro Vieira reconheceu a importância estratégica das relações do Brasil com o Paraguai e destacou os avanços obtidos nos temas de cooperação, conexão terrestre, e a construção da segunda ponte entre os dois países.

Ex-funcionário de Itaipu morre durante protesto

O governo brasileiro não comentou a morte de um ex-funcionário de Itaipu, que faleceu nesta quarta-feira, 15, quando participava de uma manifestação em frente à embaixada do Brasil em Assunção. Gil Servián, de 66 anos, reclamava direitos trabalhistas devidos pela binacional.

De acordo com Carlos González, representante da Coordenadora de Ex-Trabalhadores de Itaipu, o grupo montou um acampamento em frente à representação brasileira no Paraguai, no mês de junho. Os protestos haviam sido suspensos em janeiro após o grupo ter chegado a um acordo com o governo paraguaio.

Atualmente, cinco ex-trabalhadores, sendo uma mulher, estão crucificados há duas semanas para exigir o pagamento de seus direitos trabalhistas. Em 2014, o grupo permaneceu nestas condições por quase dois meses. O grupo tentou sensibilizar o Papa Francisco durante sua visita ao Paraguai na semana passada, para que mediasse uma solução para o impasse.

Eles exigem benefícios econômicos por antiguidade, periculosidade e outros, em cumprimento a um acordo firmado em 1978.

Íntegra do Comunicado Oficial da Chancelaria paraguaia sobre o encontro: http://www.inforel.org/noticias/noticiasEspanhol.php?tipo=2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *