Mundo

Infraestrutura Energética
03/11/2016
APEC
03/11/2016

Interconexão

Peru e Bolívia terão gabinete presidencial em temas de segurança e narcotráfico

Brasília – Na próxima sexta-feira, 4, os governos do Peru e da Bolívia terão o II Encontro Binacional Ministerial na cidade de Sucre. O evento que reunirá também os presidentes Pedro Pablo Kuczynski e Evo Morales, irá priorizar os temas de segurança e narcotráfico.

Segundo o ministro de Governo, Carlos Romero, “sistematizamos um conjunto de compromissos que havíamos assumido precisamente em matéria de controle migratório, de coordenação e sincronização de operações policiais para enfrentar delitos transnacionais que têm que ver com o tráfico de pessoas, roubo de veículos, narcotráfico, e outros delitos conexos”.

Além disso, Peru e Bolívia pretendem abordar o intercâmbio de informação, investigações, experiências e coordenação policial de ambos os países. Também está prevista a recuperação de bens apreendidos nos dois países por conta do narcotráfico.

“Temos dois aviões com matrícula boliviana que foram sequestrados no Peru, do narcotráfico. Vamos definir um acordo biancional para que se possa monetizar estes bens e que isso possa beneficiar os dois países por meio de um mecanismo específico”, revelou Romero.

A primeira reunião presidencial bilateral do gabinete Peru – Bolívia, foi realizado em 2015 na Iha Esteves, na região de Puno. Os dois governos estimam que 90% do acordado na época foi cumprido.

Corredores

Durante a reunião do gabinete binacional Peru – Bolívia, em Sucre, os dois governos dedicarão um período específico para as discussões em torno de um plano de interconexão da infraestrutura viária com o objetivo de incrementar o uso intensivo dos corredores que permitam desenvolver o comércio ultramarino no porto de Ilo, no Pacífico.   

O embaixador peruano em La Paz, Benjamín Chimoy, confirmou que os dois países discutirão temas relacionados com a construção e melhoramento de rodovias ante o crescente comércio exterior e o transporte de produtos bolivianos, que na atualidade enfrentam graves dificuldades para chegar aos portos do norte chileno.

“A ideia é ir desenvolvendo o porto de Ilo a medida em que chegam mais cargas do sul do Peru e também da Bolívia, para poder acondicionar estes portos do sul às novas necessidades. Isto deveremos fazer com o uso intensivo de rodovias”, afirmou o diplomata.

Chimoy confirmou ainda que estão sendo encaminhados tecnicamente o desenvolvimento de cinco corredores de transporte internacional de mercadorias e passageiros, entre eles La Paz – Desaguadero – Ilo, Tacna – Collpa – La Paz e, no norte, a rodovia Nareuda – Extrema – San Lorenzo até os departamentos de Pando e Beni. Esta infraestrutura viária se somará ao projeto da ferrovia que unirá os oceanos Atlântico e Pacífico. “É um projeto de grande envergadura e ambicioso no qual temos grande interesse”, disse.

“Um dos pontos mais importantes para a Bolívia é o corredor bioceânico central, é nossa proposta e projeto de um trem moderno que una os oceanos Atlântico e Pacífico”, destacou o embaixador da Bolívia em Lima, Gustavo Rodríguez. O traçado inicial começa no porto de Santos, no Brasil, passa pelo território boliviano e termina no porto de Ilo, no Peru.

Segundo Rodríguez, “este projeto permitirá o desenvolvimento de uma entidade portuária no Peru para que sirva à Bolívia para conectar-se com o mundo e desenvolver a sua economia e o seu comércio”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *