Brasília, 16 de janeiro de 2019 - 17h31

Petrobras fecha acordo com Bolívia e Lula comemora

29 de outubro de 2006
por: InfoRel
Compartilhar notícia:
Nesta madrugada, a Petrobras fechou um novo acordo com o governo boliviano que põe fim a uma crise energética que poderia representar a saà­da da estatal brasileira daquele paà­s.

O acordo garante o fornecimento de gás para o Brasil até 2019 e para a Argentina até 2026. O acordo foi fechado com as dez empresas estrangeiras que atuam na Bolà­via.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva comemorou a celebração do acordo que afasta quaisquer riscos de abastecimento do gás.

O acordo permitirá a permanência da companhia na Bolà­via, nos negócios de exploração e produção de gás dos campos de San Alberto e San Antonio, em Tarija.

Segundo a Petrobras, o contrato assinado regulamenta as novas condições de exploração e produção de gás nos campos referidos. A questão do preço do gás e das refinarias bolivianas de propriedades da Petrobras não foi tratada no acordo. O documento será encaminhado ao Congresso Nacional boliviano para apreciação final.

Apesar de reconhecer que o novo acordo é suficiente para que a Petrobras mantenha suas operações na Bolà­via, a empresa não divulgou como será feita a distribuição dos lucros. No caso da Total FinaElf, a Bolà­via ficará com 82% e a empresa com 12%. Com a Vintage, dos Estados Unidos, a divisão ficou em 50% para cada um – empresa e Estado boliviano.

Evo Morales elogia reeleição de Lula

Neste domingo, o presidente da Bolà­via, Evo Morales, afirmou que a reeleição de Lula ratifica a mudança de rumos que a população latino-americana quer para a região. Segundo Morales, será possà­vel que o Brasil avance para resolver os grandes problemas das maiorias marginalizadas.

Ele destacou ainda a liderança de um militar patriota na Venezuela (Hugo Chávez), um intelectual progressista na Argentina (Nestor Kirchner) e de uma militante socialista no Chile (Michele Bachelet). Na opinião de Evo Morales, a população desses paà­ses decidiram por nomes capazes de pôr fim a exclusão social histórica.

“Com a vitória de Lula se abrem possibilidades para se fortalecer a cooperação e os acordos polà­ticos, econômicos e culturais com o Brasil”, afirmou Morales.