Brasil

Tecnologia
06/02/2017
Integração Regional
06/02/2017

Comércio Exterior

Presidente da Argentina discute com Temer abertura comercial sul-americana

Brasília – O presidente da Argentina, Mauricio Macri, realiza nesta terça-feira, 7, visita de Estado ao Brasil quando se reunirá em Brasília, com o presidente Michel Temer para discutir as relações bilaterais e a abertura comercial sul-americana. Macri virá acompanhado de quatro ministros e um deputado, presidente do Grupo Parlamentar Argentina – Brasil.

Para o governo brasileiro, a visita reveste-se de especial importância pela retomada das negociações do MERCOSUL com a União Europeia, agora sob presidência argentina – o Brasil assume o posto em julho. A Argentina foi o primeiro país latino-americano visitado pelo presidente Michel Temer logo após a sua posse, em agosto. Além disso, trata-se do principal parceiro comercial do Brasil na região.

O Embaixador Paulo Estivallet de Mesquita, Subsecretário-Geral de América do Sul, Central e Caribe, do ministério das Relações Exteriores, e responsável pelas tratativas em torno da visita de Macri, revelou que um dos principais temas discutidos será a redução das barreiras do país vizinho em relação aos automóveis e ao açúcar brasileiros.

Segundo ele, “a ideia é que se complete o livre comércio de todos os produtos no MERCOSUL. Não existe nenhum tema que esteja fora da mesa, inclusive estes como automóveis e açúcar. Durante muito tempo sequer se discutiam esses produtos”, reconheceu.

No final de janeiro, Brasil e Argentina realizaram também em Brasília, a III Reunião da Comissão Bilateral de Produção e Comércio, liderada pelos ministros Marcos Pereira, da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, e Francisco Cabrera, da Produção, da Argentina. Além de pôr fim as barreiras ao comércio regional, os dois países pretendem avançar nas negociações extrarregionais com a União Europeia, Japão, Canadá, e EFTA.

Paulo Estivallet explicou ainda que o contexto político vivido nos dois países favorece a assinatura de acordos bilaterais. “É um momento de coincidência de percepções entre os dois governos em relação à forma como se organiza uma economia, ao tipo de mudança que se tem que fazer para retomar o crescimento”, destacou o embaixador.

Sobre as negociações com os europeus, Estivallet afirmou que “não basta a vontade do Brasil, da Argentina,  do Uruguai e do Paraguai para concluir esse acordo, é necessário que a União Europeia também demonstre essa vontade não apenas declarada, mas de fazer as concessões necessárias para a conclusão do acordo”, disse.

Em Brasília, Mauricio Macri também visitá os presidentes do Senado Federal, da Câmara dos Deputados e do Supremo Tribunal Federal. Ele retorna à Argentina no final da tarde do mesmo dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *