Brasília, 13 de dezembro de 2018 - 07h50

Relações Exteriores

05 de janeiro de 2015
por: InfoRel
Compartilhar notícia:

Brasília – A presidente Dilma Rousseff reafirmou em seu discurso de posse a prioridade que a sua Política Externa dará às relações com a América Latina e aos mecanismos regionais de integração como o Mercosul, CELAC e UNASUL. “Nossa inserção soberana na política internacional continuará sendo marcada pela defesa da democracia, pelo princípio de não-intervenção e respeito à soberania das nações, pela solução negociada dos conflitos, pela defesa dos Direitos Humanos, e pelo combate à pobreza e às desigualdades, pela preservação do meio ambiente e pelo multilateralismo. Insistiremos na luta pela reforma dos principais organismos multilaterais, cuja governança hoje não reflete a atual correlação de forças global”, afirmou a presidente.



De acordo com ela, “manteremos a prioridade à América do Sul, América Latina e Caribe, que se traduzirá no empenho em fortalecer o Mercosul, a UNASUL e a Comunidade dos Países da América Latina e do Caribe (CELAC), sem discriminação de ordem ideológica”.



Ao agradecer a presença de colegas e governantes da América Latina, a presidente garantiu que “dá mesma forma será dada ênfase a nossas relações com a África, com os países asiáticos e com o mundo árabe”.



“Com os Brics, nossos parceiros estratégicos globais - China, Índia, Rússia e África do Sul –, avançaremos no comércio, na parceria científica e tecnológica, nas ações diplomáticas e na implementação do Banco de Desenvolvimento dos Brics e na implementação também do acordo contingente de reservas”, revelou.



As relações com os Estados Unidos mereceram atenção especial. Para a presidente, “é de grande relevância aprimorarmos nosso relacionamento com os Estados Unidos, por sua importância econômica, política, científica e tecnológica, sem falar no volume de nosso comércio bilateral”. Joe Biden, vice-presidente norte-americano foi o único representante estrangeiro com quem ela se reuniu ainda no dia 1º por mais de uma hora no Palácio do Itamaraty.



As relações com a União Europeia e com o Japão também foram destacadas pela presidente. A Cúpula Brasil – União Europeia será realizado em Brasília ainda no primeiro semestre e no Congresso, será realizado o Fórum Brasil – Europa.



Nota



A Presidência da República distribuiu a seguinte Nota Oficial sobre os encontros bilaterais mantidos pela presidente por ocasião de sua posse:



No contexto das cerimônias da Posse Presidencial, a Presidenta Dilma Rousseff manteve em Brasília, em 1º de janeiro, reuniões com o Vice-Presidente dos EUA, Joe Biden, e com a Diretora-Geral da UNESCO, Irina Bokova. Na manhã de 2 de janeiro, a Presidenta reuniu-se com o Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, com o Primeiro-Ministro da Suécia, Stefan Löfven, com o Vice-Presidente da China, Li Yuanchao, e com o Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz.



Na reunião com o Vice-Presidente dos EUA, a Presidenta Dilma Rousseff agradeceu a presença de Joe Biden nas cerimônias de posse e disse que a visita constituiu um sinal da amizade entre Brasil e Estados Unidos, bem como do interesse mútuo em fortalecê-la ainda mais nos próximos anos. A reunião permitiu análise dos principais temas da atualidade internacional e da agenda bilateral e regional. A Presidenta expressou a grande satisfação do Governo brasileiro com a decisão dos Presidentes Barack Obama e Raúl Castro de normalizar as relações EUA-Cuba. De acordo com a Presidenta, trata-se de decisão “histórica e corajosa”, que abre possibilidades de cooperação entre os dois países, com impacto muito favorável em toda a América Latina, como se poderá constatar na próxima Cúpula das América, em abril próximo. A Presidenta Dilma Rousseff e o Vice-Presidente Joe Biden reiteraram também o interesse dos dois países em imprimir maior dinamismo no comércio bilateral, bem como na cooperação bilateral nas áreas de inovação, ciência e tecnologia e educação. Assinalaram ainda o compromisso em dar seguimento às tratativas para viabilizar, oportunamente, uma visita de Estado da mandatária brasileira aos Estados Unidos. Biden reiterou o desejo do Governo dos EUA em ter no Brasil parceiro estratégico em temas da agenda bilateral e multilateral.



Na reunião com a Diretora-Geral da UNESCO, Irina Bokova, a Presidenta Dilma Rousseff manifestou o interesse em aprofundar a cooperação com a agência da ONU durante o segundo mandato. Ressaltou a grande convergência entre a orientação das políticas públicas do Brasil e as diretrizes de atuação da UNESCO nas áreas de gênero e de afrodescendentes. Elogiou também a decisão da UNESCO de incluir como prioritárias para o período de 2014-2021 a cooperação com a África e a igualdade de gênero. A Presidenta manifestou ainda o apoio do Brasil para que a Agenda Pós-2015 da ONU priorize o papel da educação. Disse que, sob a liderança de Irina Bokova, a UNESCO poderá contribuir para uma discussão abrangente sobre o processo de desenvolvimento de ferramentas de avaliação educacional, que leve em conta os aspectos de qualidade e inclusão social nas políticas do setor. A Diretora-Geral da UNESCO convidou a Presidenta Dilma Rousseff a participar da cerimônia de comemoração do 70º aniversário da UNESCO, em novembro de 2015.



O encontro com o Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ofereceu oportunidade para que os dois mandatários passassem em revista temas bilaterais e regionais. A Presidenta Dilma Rousseff afirmou a intenção de retomar as periódicas reuniões bilaterais de alto nível com a Venezuela, bem como de dar impulso a iniciativas voltadas para a integração produtiva e comercial. A Presidenta disse ainda que, sempre que solicitado, o Brasil estará pronto a contribuir, em conjunto com os parceiros da UNASUL, para o diálogo interno na Venezuela. No plano comercial, a Presidenta lembrou as tratativas entre empresas brasileiras do setor de alimentação e medicamentos e o Governo da Venezuela. O Presidente Nicolás Maduro assinalou que Brasil e Venezuela estão comprometidos em construir juntos “um processo de industrialização com maior nível tecnológico e maior grau de investimentos nos âmbitos bilateral e do Mercosul”. Os dois presidentes concordaram ainda em que o processo de normalização das relações entre os Estados Unidos e Cuba deverá contribuir para a dinâmica de cooperação em toda a América Latina e Caribe.



Durante a conversa com o Primeiro-Ministro da Suécia, Stefan Löfven, a Presidenta disse esperar que, no segundo mandato, Brasil e Suécia possam fortalecer a parceria  bilateral e manifestou a intenção de realizar visita àquele país. No campo da defesa, a Presidenta Dilma Rousseff afirmou que a compra pelo Brasil de caças Gripen NG inicia uma nova fase de cooperação bilateral, pautada pela transferência de tecnologias e conhecimento e que permitirá oportunamente a atuação conjunta dos dois países junto a outros mercados na região. Afirmou que a cooperação na área de defesa oferece ensejo para que os dois países promovam a intensificação das relações econômicas, mediante, por exemplo, a realização em breve de reunião da Comissão Mista Econômica Brasil-Suécia, bem como de encontro empresarial bilateral. A Presidenta Dilma Rousseff manifestou ainda satisfação com os bons resultados da cooperação educacional, no âmbito do Programa Ciência Sem Fronteiras e que ficou muito satisfeita com o convite que lhe foi feito pelo Primeiro-Ministro para que visite a Suécia.



Na reunião com o Vice-Presidente da China, Li Yuanchao, a Presidenta Dilma Rousseff afirmou que a Parceria Estratégica Global com a China  terá tratamento prioritário durante o segundo mandato. Nesse contexto, considerou importante a realização no Brasil, em 2015, da IV Reunião da Comissão Sino-Brasileira de Concertação e Cooperação (COSBAN), bem como da II Reunião do Diálogo Estratégico Global entre Chanceleres, na China. A Presidenta assinalou que o o Brasil tenciona aprofundar a cooperação com a China na área espacial e disse que o lançamento, em dezembro passado, do satélite CBERS-04 abriu novo capítulo na colaboração bilateral em alta tecnologia. A Presidenta demonstrou satisfação com o interesse de empresas chinesas em investir em ferrovias no Brasil e considerou “promissor” o Diálogo Brasil-Peru-China sobre a Ferrovia Transcontinental. O Vice-Presidente Li Yuanchao, por sua vez, indicou a disposição da China em ampliar as importações de produtos manufaturados do Brasil e comprometeu-se em agilizar o processo de normalização das certificações para exportações brasileiras de carne para a China. Informou ainda a conclusão dos estudos para a liberação das importações chinesas de milho brasileiro. A Presidenta Dilma Rousseff qualificou de “positiva” a escolha de Xangai com sede do novo Banco de Desenvolvimento dos BRICS. O Vice-Presidente Yuanchao reiterou o convite, já aceito pela Presidenta Dilma Rousseff, para que realize em breve visita de Estado à China.



No encontro com o Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, a Presidenta Dilma Rousseff reiterou seu discurso de posse de que continuará a ter na África uma das prioridades da política externa brasileira. A Presidenta expressou satisfação com o fortalecimento da democracia na Guiné-Bissau, após as eleições do ano passado, e disse esperar que essa nova fase possibilite a reconciliação nacional e a estabilidade política na Guiné-Bissau. No plano da cooperação bilateral, o Presidente da Guiné-Bissau solicitou a cooperação do Brasil na área de tecnologias para a produção do arroz, no âmbito dos esforços daquele país para combate à fome e à pobreza. A Presidenta Dilma Rousseff comprometeu-se a instruir o Ministério do Desenvolvimento Agrário e a Embrapa a definirem rapidamente modalidades de cooperação com a Guiné-Bissau. Ao agradecer o compromisso do Brasil, o Presidente José Mário Vaz estendeu convite à Presidenta Rousseff para que realize visita à Guiné-Bissau.


Assuntos estratégicos

Senado paraguaio posterga para 2019 análise de leis contra o crime organizado

Senado paraguaio posterga para 2019 análise de leis contra o crime organizado

O Senado do Paraguai postergou para março de 2019 a análise de três projetos de...
Paraná inaugura Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública

Paraná inaugura Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública

Na última terça-feira, 4, a governadora do Paraná, Cida Borghetti, e o ministro...
Brasil defende aprovação de lei que congela bens de terroristas

Brasil defende aprovação de lei que congela bens de terroristas

Brasília – O futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, defendeu nesta...
Paraguai intensifica combate a grupos criminosos do Brasil

Paraguai intensifica combate a grupos criminosos do Brasil

Brasília - O governo do Paraguai intensificou o combate das ramificações das...
Radares aéreos são instalados para combater tráfico de droga e armas

Radares aéreos são instalados para combater tráfico de droga e armas

Brasília - O Brasil vai instalar três radares aéreos para o controle de voos de...
Governo brasileiro oficializa extinção da binacional espacial criada com Ucrânia

Governo brasileiro oficializa extinção da binacional espacial criada com Ucrânia

Brasília - O governo brasileiro encaminhou ao Congresso Nacional a Medida Provisória...
ABIN defende constitucionalização da Inteligência e alerta para ameaças

ABIN defende constitucionalização da Inteligência e alerta para ameaças

Brasília – O Diretor-Geral da Agência Brasileira de Inteligência,...
Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Especialistas apoiam adesão do Brasil à Convenção Internacional contra o Terrorismo Nuclear

Brasília – Com cerca de 30 instalações nucleares e 3.000 fontes de...
Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasil firma acordo para facilitar exportação de alimentos para a China

Brasília - A Agência Brasileira de Promoção de Exportações...
Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Câmara de Comércio Árabe Brasileira quer trabalhar com governo do Brasil

Brasília – Apesar do anúncio feito pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, de...