Brasília, 07 de dezembro de 2019 - 02h08
Projeto de usina de enriquecimento de urânio será elaborado pela AMAZUL

Projeto de usina de enriquecimento de urânio será elaborado pela AMAZUL

27 de novembro de 2019 - 12:25:35
por: Marcelo Rech
Compartilhar notícia:

Brasília – O Comando da Marinha informou que no dia 22, em São Paulo, a AMAZUL assinou termo de execução descentralizada (TED) para elaborar o projeto básico da segunda fase da Usina Comercial de Enriquecimento de Urânio da Indústrias Nucleares do Brasil (INB), em Resende (RJ). Este trabalho terá duração de 14 meses e receberá investimentos da ordem de R$ 8 milhões. A meta da INB é alcançar a capacidade de abastecer com combustível nuclear as usinas de Angra 1 e Angra 2.

Ainda de acordo com a Marinha, a INB produz urânio enriquecido a 5% em peso por meio do processo de centrifugação, para a fabricação dos combustíveis nucleares que abastecem parcialmente as usinas Angra 1 e Angra 2. O enriquecimento é realizado em cascatas, sendo que cada uma contém várias ultracentrífugas em série, aumentando gradativamente o teor de enriquecimento do U235. O conjunto de cascatas constitui um módulo.

Na Fábrica de Combustível Nuclear da INB, está localizada a Usina de Enriquecimento de Urânio, que atende, atualmente, com sete cascatas em operação, cerca de 45% da quantidade média anual de urânio enriquecido necessária para abastecer a central nuclear Angra 1, sendo que o restante é importado. A INB pretende tornar o Brasil autossuficiente na produção de combustível nuclear, atendendo plenamente às recargas de Angra 1, 2 e, futuramente, Angra 3, e está em fase de ampliação da Usina de Enriquecimento de Urânio.

A parceria da AMAZUL com a INB começou em 2015, quando a empresa assinou contrato para a elaboração de projeto conceitual e básico da Unidade de Testes e Preparação de Equipamentos Críticos e Treinamento da Fábrica de Combustíveis Nucleares.