Venezuela
27/04/2005
América do Sul
28/04/2005

Uruguai

PT participa de encontro de partidos de esquerda do Cone Sul

Nesta quinta-feira, o governo de esquerda do Uruguai e os partidos da Frente Ampla – Nova Maioria, que ajudaram a eleger o presidente Tabaré Vazquez, promovem um encontro de representantes de partidos progressistas e de governos do Cone Sul. O evento será realizado em Montevidéu, com a presença de representantes do Uruguai, Brasil, Argentina e Chile.

O Partido dos Trabalhadores e o governo brasileiro serão representados pelo ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, o assessor internacional da Presidência, Marco Aurélio Garcia, o Secretário de Relações Internacionais do PT, Paulo Ferreira, e a coordenadora de Relações Internacionais do Partido dos Trabalhadores, Nani Stuart.

O Uruguai será representado pelo presidente Tabaré Vazquez e os ministros da Educação, Jorge Provetto e dos Transportes, Victor Roque. Pela Argentina, deverão comparecer a senadora e primeira-dama do país, Cristina Kirchner e o chefe do Gabinete de Ministros, Alberto Fernández. O Chile deve enviar a ex-ministra da Defesa e candidata da situação à Presidência, Michelle Bachelet e a deputada Isabel Allende.

No entanto, os organizadores garantem que não se trata de um encontro oficial de partidos ou governos. O principal objetivo do evento é compartilhar idéias e experiências, para que se possa debater os temas mais importantes de suas agendas internacionais, além de planejar eventuais ações coordenada.

Os representantes dos quatro países deverão debater a situação política do Uruguai passados dois meses do governo Vazquez, além da conjuntura política na Argentina, Brasil e Chile.

Segundo Paulo Ferreira, Secretário de Relações Internacionais do PT, a prioridade para o partido reside fundamentalmente nas discussões sobre a integração. “Os partidos progressistas do Cone Sul — PT, Frente Ampla do Uruguai, Partido Justicialista da Argentina e Partido Socialista do Chile — reúnem-se para debater integração à luz dessa realidade inédita, que é nossa presença na chefia dos governos desses quatro países”, afirmou.

O ministro José Dirceu será o responsável pela exposição sobre sua conjuntura brasileira. O PT deverá manifestar a opinião de que o processo de integração desses países é uma condição necessária de proteção para suas próprias economias. “Não queremos competir por liderar o processo. Queremos uma integração inclusiva”, esclareceu Ferreira.

O encontro termina nesta sexta-feira e deverá produzir uma carta de manifestação política pela continuidade do processo de integração na América Latina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *