Defesa

Marinha
28/04/2015
Terrorismo
28/04/2015

Orçamento das Forças Armadas

Relações Exteriores cancela audiência com ministro da Defesa

Brasília – A audiência pública da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional do Senado destinada a ouvir o ministro da Defesa, Jaques Wagner, foi cancelada. O evento seria realizado nesta quinta-feira, 30. A CRE não informou as razões do cancelamento.

A audiência pública foi requerida pelo senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), que questiona como o país está se preparando para as Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. Segundo ele, “nenhum país que sedie tal evento pode pensar na hipótese de “baixar a guarda” e reduzir os contingentes policial e militar. Quais são as ações que estão sendo tomadas para garantir o mais alto nível de segurança?”, questionou.

No dia 2 de fevereiro, o ministério da Defesa e as Forças Armadas publicaram as diretrizes de segurança dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos do Rio quando as três forças atuarão de forma integrada seguindo o exemplo da Copa do Mundo e Copa das Confederações.

Forças Armadas

Para os membros da CRE, a modernização das Forças Armadas brasileiras constitui ainda um grande desafio e com o agravamento da situação econômica atual, faz-se necessário saber quais projetos das Forças deverão sofrer contingenciamento, bem como quais as medidas que o novo ministro pretende adotar para diminuir o impacto das restrições orçamentárias que enfrenta o MD.

Ricardo Ferraço lembra que em maio de 2014 foi anunciado acordo entre a Força Aérea Brasileira e a Embraer que previa aquisição de 28 aeronaves KC-390 ao longo de dez anos. Os aviões devem substituir a frota de aviões Hércules. “O projeto continuará em sua totalidade? Os recursos que seriam destinados à construção dos submarinos de propulsão convencional e nuclear e do satélite geoestacionário para comunicações estratégicas sofreram alterações?”, se pergunta o senador.

No caso do KC-390, há uma dívida do governo com a Embraer de cerca de R$ 600 milhões.

Ele lembra ainda que o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron), um dos principais projetos estratégicos do Exército, é fortemente esperado pelo Estado brasileiro e seus cidadãos uma vez que sua ativação significaria o combate amplo e articulado ao tráfico de drogas, armas, e ao crime organizado nas regiões de fronteira.

“O Exército pretendia ativar o Sisfron até o início de 2015 e “fechar” Mato Grosso do Sul para o crime organizado nas regiões de fronteira. Qual o novo prazo para ativação desta primeira etapa? A ativação total e ampla sofreu alterações?”, quer saber.

China

“Desde 2014 estamos assistindo à aproximação entre Argentina e China. Agora, em 2015, tais negociações se concretizaram em acordos que, segundo especialistas, aniquilam perspectivas de parcerias de defesa do Brasil com o vizinho. A produção de veículos blindados (destinados à Força Binacional de Paz “Cruz Del Sur”) fecha a porta para que a Argentina participe do Programa da VBTP-MR Guarani, cuja viatura já havia sido testada pelo Exército argentino”, explicou o senador que pretende obter explicações do ministro acerca das relações da China com os países vizinhos nesta matéria.

Ricardo Ferraço recordou que um lote de 16 viaturas chegou a ser negociado entre os dois países. “A Argentina ainda não especificou o número de blindados chineses que irá adquirir, mas palpites dão conta que chegarão a centenas. Recentemente a Infantaria Naval da Venezuela também adquiriu o mesmo blindado da China, o VN-1. Como o ministro de Estado avalia tais acordos? Ainda há possibilidade de parcerias entre Argentina e Brasil? Em quanto são estimadas as perdas para o Estado brasileiro com os acordos sino-argentinos?”, pergunta-se.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *