Agenda

Equador vai à OEA, ALBA e UNASUL para garantir asi
20/08/2012
Brasil doa US$ 120 mil para ajudar refugiados síri
20/08/2012

Relações Exteriores vai discutir a preservação da

Relações Exteriores vai discutir a preservação da Amazônia

Brasília – A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CREDN) da Câmara dos Deputados vai discutir a preservação da floresta Amazônica a partir de ações concretas e comuns dos países que integram a Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA) – Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname e Venezuela.

Na próxima semana, a presidente da CREDN, deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC), apresentará requerimento para que autoridades brasileiras e estrangeiras sejam convidadas a tratar do assunto em audiência pública.

Em reunião com representantes da OTCA, na última semana, ela disse estar preocupada com a preservação da Amazônia. Perpétua Almeida quer um maior acompanhamento das ações empreendidas pelos organismos internacionais na região.

Ela afirmou ainda que os parlamentares precisam acompanhar os estudos e os projetos da OTCA sobre as potencialidades econômicas geradoras de renda e oportunidade para a região amazônica.

Segundo a deputada, “precisamos discutir e buscar alternativas de desenvolvimento que mantenham a nossa cobertura florestal. Oferecendo também melhores condições de vida à população que vive nessas regiões. Ouvir a OTCA pode ajudar a buscar saídas para garantir a preservação ambiental”.

Já o Embaixador Robby Ramlaklan, Secretário-Geral da OTCA, acredita que a audiência pública será uma oportunidade para aproximar os deputados do trabalho desenvolvido pelo organismo e aprofundar as discussões sobre preservação e desenvolvimento social.

“A população dessa região enfrenta um sério empobrecimento diante de efeitos meteorológicos que impedem o desenvolvimento da região. É importante ter um olhar na preservação e outro nas famílias que residem nessas áreas e dependem da cobertura florestal para tirar seu sustento”, explicou a parlamentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *