Brasília, 22 de fevereiro de 2019 - 04h27

Mercosul

29 de setembro de 2005
por: InfoRel
Compartilhar notícia:
A Comissão Parlamentar Conjunta do Mercosul discute nesta quinta e sexta-feira, a proporcionalidade do futuro Parlamento do bloco. O protocolo de criação do parlamento do Mercosul deve estar concluà­do até o final deste ano e a questão da proporcionalidade de parlamentares é uma das prioridades.

Pela proposta original, o Brasil teria 36% dos representantes; a Argentina, 31%; e Uruguai e Paraguai, 16% cada. Essa divisão tem provocado a insatisfação de Uruguai e Paraguai, que pediram uma reavaliação dos percentuais. Os dois paà­ses defendem uma representação igual para todos os integrantes do bloco.

O Uruguai apresentou sugestão, que prevê um perà­odo de transição de 2007 a 2010, durante o qual todos os paà­ses do bloco teriam o mesmo número de representantes no Parlamento. A partir de 2011, a representação seria proporcional, com eleição direta.

Segundo o deputado Doutor Rosinha [PT-PR], ex-presidente e atual Secretário-Geral da Comissão Parlamentar Conjunta do Mercosul, a proposta do Uruguai é "tà­mida".

"Vou defender a proporcionalidade já, agora na legislatura válida a partir de 2007. Não é possà­vel o Brasil ter o mesmo número de parlamentares do Paraguai e Uruguai. Já há compensações pela representatividade proporcional", afirmou.

Ele disse que o Paraguai, por exemplo, indicou quatro dos cinco juizes do Tribunal de Solução de Controvérsias, que também tem sede em Assunção.

IV Encontro do Mercosul

Nesta quinta-feira, será realizado em Belo Horizonte [MG] o "IV Encontro do Mercosul", um seminário que pretende ampliar o nà­vel de informação da sociedade sobre o bloco e reforçar os canais de comunicação entre sociedade e os governos em torno das prioridades da polà­tica externa.

Outro objetivo do encontro é colher informações e demandas da população sobre o processo de implantação e ajustes do Mercosul.

Últimas notícias