Declaração Conjunta da Comissão Russo-Brasileira d
18/05/2011
A crise líbia. Onde está a UE?
18/05/2011

Programa Espacial

Rússia participará do projeto do Veículo Lançador de Satélites (VLS)

O vice-presidente da República, Michel Temer, participou nos dias 16 e 17 em Moscou, da V Reunião da Comissão Brasileiro-Russa de Alto Nível de Cooperação (CAN), considerado o foro mais elevado de diálogo, concertação política e acompanhamento das relações bilaterais.

De acordo com o ministério das Relações Exteriores, a CAN é responsável por supervisionar os trabalhos da Comissão Intergovernamental Brasil-Rússia para Cooperação Econômica, Comercial, Científica e Tecnológica (CIC), que se dedica a estimular a cooperação bilateral nas áreas de economia e comércio, finanças, agricultura, energia, espaço, defesa, ciência, tecnologia e inovação, educação, cultura e esportes.

No dia 16, foram realizadas reuniões da CIC e da Comissão de Assuntos Políticos. Nesta terça-feira, 17, Michel Temer co-presidiu a sessão de alto nível, ao lado do primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, quando foram avaliados os progressos na implementação do Plano de Ação da Parceria Estratégica (2002) e da Aliança Tecnológica (2004) estabelecidas entre os dois países.

Em 2010, as trocas comerciais entre Brasil e Rússia atingiram US$ 6,063 bilhões, dos quais US$ 4,152 bilhões corresponderam a exportações brasileiras.

Temas globais

Brasil e Rússia concordaram em promover de forma conjunta, o multilateralismo, as normas do direito internacional e o papel central e coordenador da Organização das Nações Unidas (ONU), em temas como o desarmamento, a não-proliferação, a proteção dos direitos humanos, a preservação do meio ambiente, a segurança energética e o desenvolvimento sustentável com igualdade social.

Neste sentido, os dois países discutiram detalhadamente formas para a promoção de uma cooperação ainda maior no âmbito dos BRICS, do Conselho de Segurança das Nações Unidas, do G-20 e de outros foros internacionais.

A Rússia, considerando o Brasil um ator relevante e influente das relações internacionais, reafirmou o seu apoio à candidatura do país a um assento permanente em um Conselho de Segurança das Nações Unidas ampliado.

Sobre os conflitos no Oriente Médio e norte da África, em especial a situação na Líbia, Brasil e Rússia frisaram a necessidade de que todas as partes interessadas ajam em conformidade com as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas e consideram que, no momento, as tarefas prioritárias são a segurança da população civil, a cessação do derramamento de sangue e o relançamento do diálogo político para a resolução da situação naquele país.

Programa Espacial

O Brasil comemorou decisão da Rússia de designar representante da Agência Espacial Federal Russa (Roscosmos) junto à Representação Comercial da Federação da Rússia em Brasília.

Isso significa que os dois países pretendem continuar a promover a cooperação na área espacial no que se refere ao aperfeiçoamento do Veículo Lançador de Satélites brasileiro (VLS-1) e sua modernização com o auxílio de estágio russo de combustível líquido; à possível utilização e desenvolvimento do sistema de navegação por satélites GLONASS no Brasil e aos estudos relativos a parceria no desenvolvimento de satélites brasileiros meteorológico e de comunicações.

Brasil e Rússia reiteraram ainda o interesse de desenvolver projetos concretos nas tecnologias de exploração de urânio, tecnologias de reatores de nova geração, projeto e construção de reatores de pesquisa, produção de radioisótopos para uso na medicina, na indústria e na agricultura; educação e treinamento de pessoal.

Um seminário técnico com vistas à identificação de projetos específicos de cooperação será realizado ainda em 2011 e o Brasil manifestou interesse na cooperação para o desenvolvimento de conjunto de aceleradores de elétrons e de kits de primeiros socorros para casos de emergência nuclear ou radiológica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *