Defesa

Relações Internacionais
01/09/2005
Força Aérea Equatoriana
02/09/2005

Cooperação

Senado aprova a doação de aviões à Bolívia e Paraguai

No mês de junho, a Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados aprovou o projeto que autoriza o ministério da Defesa a doar 12 aeronaves T-25 A Universal para as forças aéreas da Bolívia e do Paraguai.

A matéria passou ainda pela Comissão de Constituição e Justiça seguindo para o Senado, onde foi aprovada nesta semana, na Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, que acolheu o parecer do senador Romeu Tuma [PFL-SP]. Enquanto isso, na Câmara, foi aprovada a doação de aeronaves para a Força Aérea do Equador.

A aprovação no Senado se deu em tempo recorde. A proposta chegou à CRE no dia 5 de agosto e no dia 9 já estava com o relator que concluiu seu parecer no dia 11. O projeto nasceu de uma avaliação realizada pelo ministério da Defesa sobre o acervo da Força Aérea Brasileira [FAB].

As propostas foram negociadas pelo então ministro da Defesa, José Viegas e servem também para reduzir as despesas da FAB com a manutenção de modelos que já não são mais utilizados pela Força Aérea.

Após a publicação do acordo no Diário do Congresso, os aviões já poderão ser transladados para Bolívia e Paraguai, com os custos arcados pelas respectivas forças aéreas.

Segundo o ministério da Defesa, a doação também provoca efeitos secundários, por ser altamente benéfica para o relacionamento bilateral com os dois países sul-americanos, tanto do ponto de vista militar como diplomático. Trata-se de conjugar a conveniência técnica da administração pública brasileira com a solidariedade regional.

Já a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara aprovou o projeto que autoriza a doação de cinco aviões de transporte, de fabricação inglesa, tipo C-91A AVRO, acionadas por motor Rolls-Royce, modelo Dart 535-2, à Força Aérea Equatoriana.

No mês de julho do ano passado, o comandante da Força Aérea Equatoriana, visitou o Comando da Aeronáutica quando manifestou interesse em receber as aeronaves.

A exemplo dos aviões doados para Bolívia e Paraguai, o governo brasileiro entende que sua alienação não compensa economicamente, por se tratar de material fabricado há mais de 30 anos, e o mercado já oferece aeronaves mais modernas, de baixo preço e reduzido custo operacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *