Agenda

Segurança Internacional
24/02/2016
Democracia
25/02/2016

Crise Política

Senado brasileiro debate crise política venezuelana com parlamentares de oposição

Brasília – A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional do Senado debate nesta quinta-feira, 25, a crise política venezuelana com a presença de dois deputados recém eleitos para a Assembleia Nacional, agora controlada pela oposição. Nesta quarta-feira, 24, Luis Florido e Williams Davila, se reuniram com membros da oposição brasileira. Eles também têm reunião com o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, no Itamaraty, antes da audiência pública na CRE.

Para tratar da crise na Venezuela, Vieira irá se encontrar ainda com o presidente e o vice da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Aloysio Nunes (PSDB-SP) y Valdir Raupp (PMDB-RO), após a realização do evento no Senado.

De acordo com o presidente da CRE, senador Aloysio Nunes Ferreira, os parlamentares brasileiros e venezuelanos também discutirão os efeitos da crise econômica que provoca o desabastecimento de alimentos e remédios naquele país. Recentemente, a ministra de Relações Exteriores do país, Delcy Rodríguez, esteve em Brasília para pedir a ajuda do governo brasileiro.

O problema é que muitas empresas não querem mais vender à Venezuela que acumula dívidas bilionárias com fornecedores em vários países. A dívida com industriais brasileiros alcança os US$ 2 bilhões.

Luis Florido é presidente da Comissão de Política Exterior, Soberania e Integração da Assembleia Nacional. Segundo Nunes Ferreira, “são representantes da nova maioria, maioria que se compôs depois da estrondosa vitória das forças democráticas da Venezuela. E que tem muito a dizer para estreitarmos o diálogo entre aquele país e o Senado brasileiro”.

A oposição conquistou 112 das 167 cadeiras da Assembleia, fazendo uma maioria qualificada que pode inclusive votar pela destituição do presidente Nicolás Maduro e anistiar os presos políticos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *