Brasília, 11 de julho de 2020 - 10h41
Senado ouvirá ministros sobre o comércio internacional agropecuário

Senado ouvirá ministros sobre o comércio internacional agropecuário

19 de dezembro de 2019 - 11:00:48
por: Marcelo Rech
Compartilhar notícia:

Brasília – A Comissão de Agricultura do Senado decidiu convidar os ministros da Economia e Agricultura, Paulo Guedes e Tereza Cristina, para que expliquem as medidas adotadas e os resultados obtidos com a política de comércio internacional agropecuário.

Nesta terça-feira, 17, seria votado o relatório de avaliação da política pública "Comércio Internacional Agropecuário", elaborado pelo senador Luis Carlos Heinze (PP-RS), mas a sessão foi suspensa para que os ministros sejam ouvidos primeiro.  

O documento trata da evolução do agronegócio na balança comercial e da participação do Brasil no conjunto das exportações e importações mundiais de produtos agropecuários e agroindustriais, além de analisar as políticas de apoio às exportações.

De acordo com Heinze, a China recebe 35% das exportações do agronegócio brasileiro, seguida da União Europeia (17,6%) e Estados Unidos (6,7%). No entanto, segundo as estatísticas citadas no relatório, o Brasil participa com apenas 6,9% do volume global de exportações agrícolas, apesar de a balança comercial favorável — em 2018, o setor exportou US$ 89,3 bilhões contra US$ 7,8 bilhões importados — ter garantido o equilíbrio das contas da economia brasileira.

O senador chamou a atenção para a relevância da exportação de produtos primários brasileiros, o que impõe o desafio de buscar formas de agregar valor através da industrialização. Citando o exemplo da competição dos chineses no setor calçadista, ele sugere que, se o Brasil reduzisse a exportação de couro e aumentasse a de calçados, poderia “duplicar ou triplicar” o número de empregos gerados.

Segundo ele, “o Brasil é um grande exportador de soja como commodity. Temos que achar um jeito de exportar carne e produtos industrializados”, defendeu.

Luis Carlos Heinze entende ainda que faltou ao Senado analisar melhor os instrumentos de política de apoio ao comércio internacional agropecuário, motivo pelo qual apresentou requerimentos de informação — aprovados pela comissão — aos ministros da Economia, Paulo Guedes; e da Agricultura, Tereza Cristina.