Brasília, 22 de fevereiro de 2019 - 04h30

Senador refugiado na Embaixada do Brasil acusa Mor

24 de julho de 2012
por: InfoRel
Compartilhar notícia:

Brasília - O senador Roger Pinto, um dos líderes da oposição na Bolívia e refugiado na Embaixada do Brasil em La Paz há quase dois meses, acusou o presidente boliviano Evo Morales de abuso de poder por não emitir um salvo-conduto que lhe permita seguir para o Brasil.



Em carta enviada ao presidente, Pinto afirma que "o senhor abusa do poder, mas deve saber que há coisas muito mais importantes que não poderá conseguir com todo o seu poder".



O Brasil concedeu asilo político ao senador que está na Embaixada brasileira desde 29 de maio, mas o governo boliviano se nega a emitir um salvo-conduto que permita ao parlamentar deixar a legação diplomática sem ser preso.



A Bolívia quer processar Roger Pinto por corrupção e tenta pela via diplomática que o Brasil reveja sua decisão e entregue o senador às autoridades.



Para receber o asilo político, o senador afirmou estar sendo perseguido politicamente por ter denunciado casos de corrupção envolvendo funcionários dos altos escalões do governo, inclusive alguns vinculados ao narcotráfico.



Ele propôs uma anistia aos perseguidos políticos e a adoção de uma política contra o narcotráfico e a delinquência no país.



O impasse acabou contaminando as relações entre Brasil e Bolívia e pioraram sensivelmente depois que o embaixador brasileiro em La Paz, Marcel Biato, cobrou uma decisão por parte do governo.



De acordo com a Organização Internacional para a Migração (OIM), 654 refugiados vivem na Bolívia.