Relações Exteriores

Países emergentes: o nascimento de uma nova ordem?
08/11/2010
Brasil envia missão para aprofundar cooperação com
08/11/2010

Uruguai dividido em relação à UNASUL

Uruguai dividido em relação à UNASUL

O Congresso Nacional uruguaio está dividido quanto à ratificação do Tratado Constitutivo que cria a União das Nações Sul-Americanas (UNASUL), apesar dos apelos reiterados do governo por sua aprovação.

Para entrar em vigor, o Tratado precisa ser ratificado por pelo menos nove dos 12 países membros. Até o momento, apenas sete o fizeram (Argentina, Bolívia, Chile, Equador, Guiana, Venezuela e Suriname).

No próximo dia 26, o Equador transfere a presidência pro tempore da UNASUL à Guiana, na Cúpula dos Chefes de Estado que será realizada em Georgetown.

De acordo com fontes uruguaias, o governo do presidente José Mújica, não conseguiu formar consenso junto à sua base parlamentar sobre o tema.

Para alguns parlamentares, a ratificação do Tratado requer uma ampla e profunda análise e a base governista reconhece que a matéria tramita há pouco tempo para ser aprovada.

Além disso, os problemas com a Argentina por conta do código aduaneiro e do litígio envolvendo uma fábrica de celulose estariam contribuindo para o aumento da oposição ao Tratado.

A indecisão levou o chanceler uruguaio Luís Almagro a defender junto à Comissão de Assuntos Internacionais da Câmara dos Deputados, o interesse do governo na ratificação da matéria.

A oposição no Uruguai questiona o fato de o Brasil, que propôs a criação da UNASUL, ainda não ter ratificado o Tratado.

A criação do Parlamento da UNASUL é outro tema controverso. Almagro afirmou que esse dispositivo não será implementado agora e que ainda será objeto de negociações futuras.

Ele considera a criação do Parlamento da UNASUL um inconveniente.

Na Cúpula de Georgetown, os países membros da UNASUL devem oferecer à Argentina o posto de Secretário-Geral do bloco.

O cargo era ocupado pelo ex-presidente do país, Nestor Kirchner, que morreu no final de outubro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *