Relações Exteriores

Modernização
31/07/2012
Timor Leste: Semelhanças e Diferenças
02/08/2012

Venezuela ingressa ao Mercosul e Paraguai continua

Venezuela ingressa ao Mercosul e Paraguai continua suspenso

Brasília – Os presidentes Dilma Rousseff, do Brasil; Cristina Kirchner, da Argentina; José Pepe Mújica, do Uruguai; e Hugo Chávez, da Venezuela, participaram nesta terça-feira, 31, da cerimônia que oficializou o ingresso venezuelano ao Mercosul.

Na mesma reunião, decidiu-se que o Paraguai continua suspenso do bloco pelo menos até as eleições presidenciais de 2013.

Os chanceleres dos países do bloco se reuniram previamente na segunda-feira, 30, para definir o cronograma de trabalho do bloco para os próximos seis meses.

Segundo o ministério das Relações Exteriores do Brasil, com o ingresso da Venezuela, o Mercosul contará com uma população de 270 milhões de habitantes (70% da população da América do Sul), um PIB a preços correntes de US$ 3,3 trilhões (83,2% do PIB sul-americano) e um território de 12,7 milhões de km² (72% da área da América do Sul).

A chancelaria brasileira destaca ainda que a incorporação da Venezuela altera o posicionamento estratégico do bloco, que passa a estender-se do Caribe ao extremo sul do continente.

Com isso, o Mercosul se afirma, também, como potência energética global tanto em recursos renováveis quanto em não renováveis.

O Itamaraty lembra que o bloco, fundado em 1991, “possibilitou significativo incremento dos fluxos comerciais entre os membros fundadores. Em 1990, o intercâmbio entre os membros do bloco era de US$ 4,1 bilhões; em 2011, atingiu US$ 104,9 bilhões. A superação das assimetrias entre os países do grupo é o objetivo do Fundo de Convergência Estrutural do Mercosul (FOCEM), que investe US$ 100 milhões anuais em projetos que aumentem a competitividade e a coesão social do bloco”, diz a nota da chancelaria brasileira.

Economia

Na avaliação da presidente Dilma Rousseff, a entrada da Venezuela no Mercosul torna o bloco a quinta economia mundial.

Durante a cerimônia de formalização do ingresso venezuelano, Dilma Rousseff convidou os empresários da região a aumentarem os investimentos e parcerias.

Segundo ela, “o Mercosul inicia uma nova etapa. De agora em diante, nos estendemos da Patagônia até o Caribe. Considerando os quatro países mais ricos do mundo, os Estados Unidos, a China, Alemanha e o Japão, o Mercosul é somado à quinta economia, nessa ordem. A presença venezuelana aporta muito nesse sentido, reforça nossos recursos, abre oportunidades a vários empreendimentos”, explicou.

Ainda de acordo com a presidente, com a Venezuela, o Mercosul consolida-se como uma grande potência energética global. “A Venezuela tem reserva de petróleo das maiores do mundo e busca, nos últimos anos, a industrialização, o que muda a perspectiva da integração produtiva”, afirmou.

Paraguai

Reunidos em Brasília para a incorporação da Venezuela ao Mercosul, os presidentes Dilma Rousseff, Cristina Kirchner, Hugo Chávez e José Pepe Mujica descartaram a possibilidade de retaliações e sanções ao Paraguai, suspenso do bloco até abril do próximo ano.

A presidente brasileira reiterou que a suspensão do Paraguai foi uma reação à destituição do então presidente Fernando Lugo do poder, cujo processo não respeitou princípios democráticos.

“Não somos favoráveis às retaliações econômicas que possam causar prejuízos ao Paraguai. Nossa perspectiva é que o Paraguai normalize sua situação interna para que possa reaver sua situação plena no Mercosul”, disse.

Com isso, o Paraguai segue suspenso do Mercosul até as eleições de 21 de abril de 2013, quando os eleitores irão às urnas votar para presidente, vice-presidente, governador e senador. O ex-presidente Lugo é candidato ao Senado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *