Opinião

Estados Unidos revê relações na América Latina
02/05/2009
Diplomacia
05/05/2009

Venezuela no Mercosul é certa

Venezuela no Mercosul é certa

Nesta quinta-feira, a Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, do Senado Federal, realizou a segunda auidência pública para discutir a adesão da Venezuela ao Mercosul.

Foram ouvidos o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, o embaixador do Brasil em Caracas, Antonio Simões, e o governador de Roraima, José de Anchieta Júnior.

Todos destacaram a importância econômico-comercial da Venezuela para o bloco. A maioria dos senadores é favorável à aprovação do Protocolo que já passou pela Câmara dos Deputados.

O senador Tasso Jereissati (PSDB/CE), relator da matéria, deve apresentar seu parecer nas próximas semanas. A expectativa do governo é que o tratado seja aprovado no Senado até junho.

Depois de passar pela Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, o texto será submetido ainda à Comissão de Constituição, Justiça e Redação, antes de seguir para o Plenário.

Celso Amorim minimizou a s críticas feitas pela oposição à figura do presidente Hugo Chávez, único argumento para defender a rejeição da Venezuela ao bloco.

Segundo ele, “o presidente Chávez tem feito um esforço muito grande para que o país compra com todas as normas previstas e demonstrado o interesse em ver o seu país integrado ao Mercosul”.

O ex-presidente Fernando Collor de Mello (PTB-AL), não recuou. Para ele, o presidente Hugo Chávez representa uma amaeça à estabilidade e à democracia na região.

Para o chanceler Celso Amorim, a presença da Venezuela no Mercosur pode funcionar como uma motor para a integração sul-americana.

Comércio

As exportações brasileiras para a Venezuela somaram, em 2008, US$ 5,1 bilhões, mais que o total comercializado com Itália, Rússia, França e Reino Unido.

O país foi o 7° destino mundial para as exportações do Brasil, o 2° na América do Sul.

A Venezuela é o 2°comprador de celulares do Brasil, à frente dos Estados Unidos, 3° de carne de frango, 4° de automóveis, 2° de carne bovina, 3° de autopeças, 9° de veículos pesados, e 6° de motores e transformadores.

Caso a Venezuela seja admitida como membro pleno do Mercosul, o bloc se estenderá da Patagônia aol Caribe, com um mercado de 270 milhões de habitantes, ou 70% da América do Sul.

O Produto Interno Bruto (PIB), chegará aos US$ 2,3 trilhões, ou 80% do PIB sul-americano.

A Venezuela importa 75% de tudo o que consome e é um mercado cobiçado pelos Estados Unidos, China e União Européia.

O Brasil é o 3° maior exportador para a Venezuela, depois de Colômbia e Estados Unidos.

Desde 2007, empresas brasileiras já investiram cerca de US$ 3 bilhões na Venezuela. A Odebrecht tem contratos de US$ 10 bilhões, a Petrobras e a Gerdau, cerca de US$ 92 milhões, a Camargo Corrêa, firmou contratos de US$ 850 milhões, a Braskem, US$ 1,5 bilhão, e a Andrade Gutierrez, contratos de US$ 4 bilhões.

Nos dias 19 e 20 de maio, uma missão técnica da Venezuela estará no Brasil para discutir pendências comerciais. A idéia é que tudo esteja solucionado antes do encontro de Chávez e Lula, no dia 26, em Salvador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *