Brasília, 15 de outubro de 2018 - 21H43
Venezuelanos buscam asilo na União Europeia

Venezuelanos buscam asilo na União Europeia

26 de setembro de 2017
por: InfoRel
A crise política na Venezuela, agravada pela escassez de alimentos e medicamentos está fazendo com que os seus cidadãos procurem cada vez mais asilo nos países da União Europeia. De acordo com o EUROSAT, escritório estatístico do bloco, entre migrantes de 145 países que pediram asilo na UE, três se destacaram pelo aumento nas solicitações: Venezuela, Bangladesh e Guiné.

Ainda de acordo com o EUROSAT, os venezuelanos apresentaram, apenas no segundo trimestre deste ano, 2.695 pedidos, ou seja, 164% a mais do que no mesmo período do ano passado. De julho de 2016 a junho deste ano, foram registrados 8.815 pedidos de asilos de cidadãos da Venezuela nos estados-membros da UE. No Brasil, o número de pedidos de refúgio de venezuelanos mais que quadruplicou nos últimos dois anos.

Por outro lado, a quantidade de solicitações na UE, entre aqueles que fizeram o pedido pela primeira vez, diminuiu 54% no segundo trimestre de 2017, em relação ao mesmo período do ano passado. No total, 161 mil pessoas de fora da UE solicitaram asilo, sendo que 149 mil (92%) o fizeram por primeira vez. O valor é menos da metade dos 324 mil pedidos feitos no mesmo período do ano passado.

As autoridades nacionais dos estados-membros da UE emitiram 275.800 decisões de primeira instância durante o segundo trimestre de 2017. Entre eles, 46% eram positivos. A Alemanha foi o país com mais decisões emitidas (165.300), seguida pela França (27.100), Itália (19.200), Áustria (14.200), Suécia (13.400) e Reino Unido (6.600).

Brasil

Já o número de pedidos de refúgio de venezuelanos no Brasil mais que quadruplicou nos últimos dois anos. De acordo com dados do ministério da Justiça, em 2015, foram 829 pedidos e, este ano, até o mês de maio, foram registradas 3.971 solicitações.

O MJ informou que o refúgio é uma proteção legal que o Brasil oferece a cidadãos que estejam sofrendo perseguição no próprio país por motivos de raça, religião, nacionalidade, grupo social ou opiniões políticas. Também pode ser solicitado a quem esteja sujeito a graves violações de direitos humanos.

Dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), revelam que o número de refugiados e de pedidos de refúgio no país em 2016 aumentaram. No ano passado, foram registrados 9.689 refugiados no Brasil. Em 2015, 8.863. Já o total de pedidos de refúgio passou de 28.670, em 2015, para 35.464, em 2016.

A grande maioria dos venezuelanos ingressa no Brasil através do Estado de Roraima. A estimativa do governo estadual é de que, desde o agravamento da crise político-econômica no país vizinho, 30 mil venezuelanos atravessaram a fronteira.

O governo também revela que de outubro de 2016 até junho deste ano, 3.039 pessoas foram recebidas nos centros de atendimento ao migrante localizados em Boa Vista, Pacaraima e também em atendimentos móveis.

No último dia 19, o ACNUR informou que em 2016 cerca de 65,6 milhões de pessoas foram forçadas a se deslocar em todo o mundo. O número é o maior já registrado no mundo.

Assuntos estratégicos

Comunicado Conjunto dos Chanceleres da Espanha e do Brasil

Comunicado Conjunto dos Chanceleres da Espanha e do Brasil

Os chanceleres de Espanha, Josep Borrell, e do Brasil, Aloysio Nunes, mantiveram encontro de...
Declaração do G4 sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU

Declaração do G4 sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU

Em 25 de setembro de 2018, Sua Excelência a Senhora Sushma Swaraj, Ministra das...
Comunicado Conjunto do BRICS

Comunicado Conjunto do BRICS

Os Ministros das Relações Exteriores/Relações Internacionais do BRICS...