Comunidade Andina quer incorporar a Argentina e aproximar-se do MERCOSUL

por | ago 30, 2022 | 18h

Nesta segunda-feira, 29, os presidentes da Bolívia, Colômbia, Equador e Peru, se reuniram em Lima, para discutir a retomada da Comunidade Andina de Nações (CAN). Em sua 22ª Reunião do Conselho Presidencial, a CAN decidiu iniciar as negociações para incorporar a Argentina como membro pleno do bloco, e buscar uma maior aproximação com o MERCOSUL. Além disso, os presidentes dos quatro países, pediram o regresso de Chile e Venezuela ao mecanismo.

Esta foi a primeira reunião presidencial em três anos. Neste evento, o Peru recebeu a presidência pro tempore da CAN, do Equador. Chile e Venezuela deixaram a CAN por razões políticas. Para o presidente peruano, Pedro Castillo, o retorno desses dois países e o ingresso da Argentina, “forma parte de um projeto de integração sub-regional vinculado com a CAN”.

O novo presidente da Colômbia, o esquerdista Gustavo Petro, que nesta segunda-feira, 29, retomou as relações diplomáticas com a Venezuela, advogou pelo retorno imediato dos dois países, como forma de tornar a Comunidade Andina “mais poderosa”. “Se integramos Argentina, Chile e Venezuela, nossa voz será escutada mais claramente pela comunidade internacional”, afirmou.

Para o presidente da Bolívia, Luis Arce, a CAN deve fortalecer o processo de aproximação com o MERCOSUL, do qual seu país é parte como membro associado. Para La Paz, essa aproximação é indispensável para que o Brasil conclua a ratificação do Protocolo de Adesão da Bolívia ao MERCOSUL, último passo para que o país andino se torne membro pleno.

Ele defendeu, ainda, o estabelecimento de diálogos da CAN com as comunidades Europeia e Euroasiática, como forma de ampliar os espaços comerciais para os países andinos. Seria uma forma, de acordo com Arce, desses países fazerem frente às dificuldades globais representadas pelo aumento dos preços dos alimentos e do petróleo.

A Comunidade Andina, nasceu em 1969 por meio do Acordo de Cartagena e é integrada por Bolívia, Colômbia, Equador e Peru. O Chile foi membro entre 1969 e 1976. Atuou como observador entre 2004 e 2006, e desde então, é um dos países associados. A Venezuela, por sua vez, ingressou em 1973 e se retirou em 2006, em protesto pelos tratados de livre comércio firmados por Colômbia e Peru, com os EUA.

Por Marcelo Rech

InfoRel

Imagem: Via @LuchoXBolivia

Share This