Defesa

A aventura norte-coreana da Casa Branca
14/02/2018
Brasil e UE discutem agenda bilateral para a agricultura
22/02/2018

Brasil irá cooperar com a Colômbia na desminagem do país

Brasília – O Brasil irá cooperar com a Colômbia no processo de desminagem daquele país. Nesta quarta-feira, 21, os ministros da Defesa do Brasil, Raul Jungmann, e da Colômbia, Luis Carlos Villegas, assinaram um Memorando de Entendimento para a retirada de minas explosivas enterradas no solo. O Brasil irá compartilhar experiências e conhecimento dentro das atividades de remoção de Artefatos Explosivos Improvisados (AEI) e Minas Antipessoal (MAP).

De acordo com o ministério da Defesa, o memorando se insere no contexto do processo de paz colombiano, resultante do acordo entre o Governo e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC). O MD informou ainda que, desde 2006, o Brasil contribui para a formação de pelotões de desminagem na Colômbia.

O instrumento firmado entre os dois países amplia o número de militares das Forças Armadas brasileiras, peritos em desminagem, que exercerão as funções de instrutores ou de assessores técnicos na área e não exercerão atividades de busca ou remoção de minas e artefatos explosivos e não poderão entrar em áreas minadas ou suspeita de conter minas ou AEI.

Antes da assinatura, cinco ministros brasileiros (Defesa, Casa Civil, Justiça, Relações Exteriores e Gabinete de Segurança Institucional) estiveram reunidos com os ministros colombianos das Relações Exteriores e da Defesa. Entre os assuntos debatidos estão o combate ao crime transfronteiriço, e impacto do aumento do fluxo migratório de venezuelanos para os dois países e a ajuda humanitária oferecida por cada um deles.

Reunião Bilateral em Defesa

Antes da assinatura do acordo, Jungmann e Villegas encabeçaram a 3ª Reunião Bilateral em Defesa. Em janeiro de 2017, eles se reuniram em Bogotá (Colômbia), e em maio, em Manaus (AM). O encontro reforçou a importância de promover um ambiente de entendimento mútuo, de confiança e cooperação e aprofundar a cooperação em inteligência militar e o combate às ameaças como o crime organizado transnacional.

Jungmann também convidou seu contraparte para participar da Rio Internacional Defense Exhibition (Ridex), que reunirá profissionais das áreas de Defesa, Segurança e Offshore, em junho deste ano, no Rio de Janeiro, e propôs a realização de um evento em comemoração aos dez anos de criação do Conselho de Defesa Sul-Americano (UNASUL).

Por outro lado, Villegas mostrou-se interessado no Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON), e na possibilidade de modernização dos blindados Cascavel colombianos. Brasil e Colômbia compartilham uma fronteira de 1.645 quilômetros na região amazônica e desde 2008 mantêm um acordo de Cooperação em Matéria de Defesa.

A Defesa destacou que as relações entre Brasil e Colômbia vêm-se fortalecendo na última década e que o país vizinho, que está entre as três maiores economias sul-americanas, é um importante destino de investimentos brasileiros. Há, atualmente, cerca de 50 empresas brasileiras estabelecidas no país. Além disso, o Brasil apoia o processo de paz entre o Governo colombiano e as FARC e entende que sua conclusão em bom termo constituirá importante avanço político para a região. Como contribuição brasileira efetiva ao processo de paz, além de desminagem, está sendo fortalecida a cooperação bilateral prestada pelo Brasil na área de desenvolvimento rural.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *