Defesa

Relações Exteriores
19/04/2005
Comunidade Sul-Americana
19/04/2005

Forças Armadas

Exército Brasileiro comemora 357 anos

O Comando do Exército realizou na manhã desta terça-feira, cerimônia de entrega da Ordem do Mérito Militar, como parte das comemorações pelos 357 anos da força. O Dia do Exército Brasileiro foi criado em 1994, e marca a vitória brasileira na Batalha dos Guararapes, que ocorreu em 1648.

A Ordem do Mérito Militar foi instituída por decreto no dia 11 de julho de 1934. O evento contou com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do vice-presidente e ministro da Defesa, José Alencar, ministros e vários políticos.

O presidente Lula não discursou. Seu pronunciamento foi lido por um oficial do Exército. Nele, Lula reconhece que houve um processo de desmonte das Forças Armadas. Ele afirmou que o governo pretende recuperar o poder aquisitivo dos militares como forma de consolidar a democracia no país.

Para o governo, as Forças Armadas são um instrumento essencial para suas pretensões em termos de política externa, sobretudo quanto a um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU, o que deve consolidar o papel do Exército, por exemplo, nas missões de paz da organização.

Atualmente, o país comanda a missão para a estabilização do Haiti. O comando das tropas internacionais é do general Heleno Ribeiro, do Brasil. Em julho, a ONU deverá discutir se prorroga ou não a missão e se mantém o Brasil no comando.

Na África, o Exército já participou das missões de paz na Costa do Marfim [2003/2004]; Angola [89 a 97/99/2001/03]; Moçambique [94]; Libéria [93/2004]; Uganda-Ruanda [93/94]. Em andamento, participa das missões na Costa do Marfim e Guiné-Bissau.

Na América Central, integrou as missões na República Dominicana [65/66]; Guatemala [94/2000]; Nicarágua [89/92]; El Salvador [91]. Em Honduras, Costa Rica, Nicarágua e Guatemala, o Exército participa da missão para remoção de minas terrestres, desde 1994.

Na América do Sul, participou da retirada de minas no Equador e Peru [2003]; na pacificação do conflito entre Peru e Equador [95/99]. Na Ásia, integra a Força de Paz para o Timor Leste, desde 1999, e já esteve no Paquistão [65/66] e Nova Guiné [62].

Na Europa, participou dos processos de paz na Croácia [95/96]; Macedônia [95/99]; Iugoslávia [92/95]; Bálcãs [47/51]; Eslovênia [96/98]. Atualmente, mantém tropas no Chipre, na missão de paz que vem desde 1995.

No Oriente Médio, integrou a primeira Força de Emergência das Nações Unidas para o Oriente Médio, entre 1957 e 1967, a mais longa missão de paz que o Brasil participou, com cerca de 600 homens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *