Defesa Nacional
09/03/2005
Reforma Ministerial
12/03/2005

Agência Espacial

INPE é o maior distribuidor de imagens de satélite

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais [INPE] é a instituição que mais distribui imagens de satélites no mundo. A liderança se deve à Política de Distribuição de Imagens CBERS – Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres, posta em prática em junho de 2004, pelo Ministério da Ciência e Tecnologia.

De acordo com essa política, as imagens do CBERS-2 são um bem público e, conseqüentemente, o acesso a elas deve ser gratuito e irrestrito a todo usuário do território nacional.

De junho de 2004 a fevereiro de 2005, foram distribuídas mais de 57 mil imagens, sendo a maioria delas geradas pela câmera CCD [82,48%], que fornece imagens de uma faixa de 113 km de largura, com uma resolução de 20m.

O satélite americano Landsat, por exemplo, distribui cerca de 12 mil imagens/ano, enquanto o satélite francês Spot-5 distribui aproximadamente 20 mil imagens/ano.

Das 4.871 instituições que solicitaram imagens do CBERS-2, 2.127 estão na região Sudeste do Brasil, seguidas do Centro-Oeste [893], Sul [817], Nordeste [520] e Norte [514]. A maioria dessas instituições pertence à iniciativa privada [65%]. Os órgãos governamentais representam 20% dos usuários e as instituições de ensino e pesquisa, 14%.

Embora o estado de São Paulo lidere o ranking da distribuição de imagens, com 13.572 solicitações, é no Mato Grosso que se registra o maior índice na relação de cenas/usuário – 25,83. Em segundo lugar vem Rondônia, com 12,36 cenas/usuário, e em terceiro, o Amazonas, com 11,83 cenas/usuário.

Os índices demonstram que os estados que apresentam demanda mais forte de imagens são justamente aqueles em que a atividade agrícola é a mais desenvolvida e intensiva do país.

Ou seja, o impacto da Política de Distribuição de Imagens CBERS tem sido muito maior nas regiões onde o uso e a ocupação da terra são os mais intensos e dinâmicos, demandando muitos serviços de topografia e cartografia. Nesses casos, as imagens têm, seguramente, subsidiado esses serviços, proporcionando maior agilidade e eficiência na expansão da atividade agropecuária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *