Embaixador da Bolívia mente em ato pró-Evo na Câmara
O Embaixador da Bolívia no Brasil, José Kinn Franco, mentiu ao afirmar que Evo Morales é vítima de um golpe que começou com sua eleição em 2005 – o líder indígena governou por três mandatos consecutivos – e que culminou com sua vitória (?) no referendo de 2016. O então presidente boliviano pretendia mudar a Constituição para poder a reeleição de forma indeterminada. 
Em fevereiro de 2016, o Não às pretensões de Morales, recebeu 51,31%, enquanto o Sim, contou com 48,69%. Na Câmara, Franco afirmou que Evo Morales recebeu 64% dos votos. Lorena Martínez, Embaixadora da Nicarágua, e o diplomata Rolando Gómez González, Encarregado de Negócios de Cuba, também participaram do ato que contou com a presença de todos os líderes dos partidos de esquerda brasileiros.
José Kinn Franco, por outro lado, ignorou os resultados da auditoria realizada pela Organização dos Estados Americanos (OEA) que detectou fraudes graves nas eleições do dia 20. De acordo com o relatório produzido pela entidade, é “estatisticamente improvável” que Evo Morales tenha conseguido os 10 pontos percentuais necessários para evitar a realização do segundo turno com Carlos Mesa.

Marcelo Rech – 14/11/2019