O Locked Shields 2021 é considerado o maior e o mais complexo exercício cibernético internacional. Neste ano, o evento ocorreu entre os dias 13 e 16 de abril, em Tallin, na Estônia, e reuniu mais de 2 mil especialistas de 23 países. Participaram, também, militares integrantes do Núcleo do Centro de Defesa Cibernética da Aeronáutica (NuCDCAER), além de especialistas do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE).

O evento, que acontece anualmente, é organizado pelo Centro de Excelência de Defesa Cibernética Cooperativa (CCDCOE) da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) e, pela segunda vez, contou com a participação remota de uma equipe brasileira composta pelo Ministério da Defesa, pelo Ministério das Relações Exteriores, pelas Forças Armadas e por representantes das infraestruturas críticas de telecomunicações e águas, entre outros.

Simulando um cenário de apoio a um país fictício, as equipes são enviadas na defesa e na restauração dos sistemas atacados: defesa aérea, água, financeiro e espacial. Além disso, são apresentados incidentes cibernéticos nos níveis decisórios para verificação dos níveis de maturidade dos países em relação a assuntos de segurança cibernética e de proteção de dados.

Imagem: Força Aérea Brasileira