Na última segunda-feira, 30, a Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia divulgou o estudo de impacto que terá o futuro Acordo de Livre Comércio em negociação com a Coreia do Sul. As negociações entre o MERCOSUL e a Coreia do Sul foram lançadas em maio de 2018 em Seul.

Entre 30 de agosto e até o dia 3 de setembro, realiza-se a 7ª rodada negociadora, em que oito grupos técnicos buscam avançar na negociação comercial em temas como redução tarifária, maior integração entre os países via redução de barreiras não-tarifárias e compromissos regulatórios no comércio de serviços, em investimentos, propriedade intelectual e compras governamentais.

As estimativas da Secex apontam para impacto positivo do acordo em todas as variáveis macroeconômicas – PIB (0,37%), investimentos (1,02%), exportações (1,45%) e importações (1,77%) totais e salário real (0,41%) –, inclusive sobre os preços ao consumidor (-0,08%), que apresentam estimativa de queda.

Em termos acumulados até 2040, os impactos estimados são de R$ 416,8 bilhões no PIB, R$ 286,8 bilhões nos investimentos, R$ 231,3 bilhões nas exportações e R$ 486,2 bilhões nas importações. A simulação também permite identificar efeitos setoriais decorrentes dos acordos, em que a maioria absoluta dos setores apresenta aumento de nível de produção, exportações e importações totais.

A negociação do acordo de livre comércio com a Coreia do Sul  é parte de uma estratégia maior de inserção internacional da economia brasileira. Estimativas da Secex apontam que a rede de acordos comerciais atualmente em negociação pelo Brasil trará impactos positivos para a economia brasileira de R$ 1,7 trilhão no PIB até 2040, além do efeito positivo nos investimentos, na corrente de comércio (soma de exportações e importações), na massa salarial e na queda dos preços ao consumidor.

imagem: Fonte Câmera Cotidiana