Brasília – Enquanto EUA e Rússia medem forças pela Ucrânia, nesta terça-feira, 15, o presidente Jair Bolsonaro aterrizou em Moscou acompanhado dos ministros das Relações Exteriores, Carlos França; da Defesa, Walter Braga Netto; do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, das Minas e Energia, Bento Albuquerque, e da Secretaria-Geral da Presidência da República, Luiz Eduardo Ramos. Na quarta-feira, 16, ele terá reunião com Vladimir Putin. Na agenda, a habilitação de frigoríficos brasileiros e a importação de fertilizantes.

Muito pressionado, o governo brasileiro decidiu manter a agenda em meio à uma crise que envolve, também, a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). Antes de embarcar para a Rússia, o chanceler Carlos França aparou possíveis arestas em diálogo com o ministro dos Negócios Estrangeiros ucraniano, Dmytro Kuleba. Antes, ainda, no dia 11, o Itamaraty emitiu uma nota pelo aniversário de 30 anos do estabelecimento de relações diplomáticas entre o Brasil e a Ucrânia.

A posição do Brasil é aumentar o volume de comércio com a Rússia sem que se crie problemas para as relações com a Ucrânia. Além disso, França reiterou ao colega ucraniano que o Brasil defende uma solução para a crise que não envolva o emprego militar.

No dia 1º, quando os representantes dos EUA e da Rússia no CSNU subiram o tom dos ataques e fizeram com que as tensões sobre uma guerra na Europa aumentassem consideravelmente, o Embaixador do Brasil na ONU, Ronaldo Costa Filho, afirmou que não há solução militar para a crise sendo que a situação deve ser resolvida pela diplomacia e diálogo. França reiterou essa posição.

Negócios

O presidente brasileiro participará, ainda, de um encontro empresarial. Importante destacar que a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), realiza, desde o início do mês, vários eventos em Moscou para promover os produtos brasileiros. Bolsonaro pretende ampliar o mercado russo para as carnes do Brasil e o agronegócio conta com o êxito desta viagem.

Bolsonaro pretende, também, agradecer pessoalmente pelos esforços de Putin que permitiram a liberação do brasileiro Robson Nascimento de Oliveira, que ficou preso na Rússia por dois anos, por ter tentado entrar no país com medicamentos proibidos. A Rússia concedeu indulto ao brasileiro, no dia 2 de maio do ano passado.

Por Marcelo Rech

Imagem: CMIO

Share This