Comércio Brasil – Venezuela cresce e pode ter recorde em 2022

por | ago 16, 2022 | 18h

Apesar do rompimento das relações diplomáticas, pelo Brasil, em 2019, a Venezuela segue sendo um dos principais destinos das exportações agrícolas do Brasil. Em 2022, o volume de comércio deverá bater em mais de US$ 700 milhões, com a venda de milho, carne e, acredite, bolachas.

Os dados são do ministério da Economia e são inócuos se comparados com a marca de US$ 5 bilhões que o Brasil exportou para a Venezuela em 2012, mas vai mostrando que, mesmo sem uma Embaixada aberta – o Brasil fechou a sua e seus consulados naquele país – as relações comerciais podem se manter.

Há época dos governos de esquerda, a Venezuela chegou a ser o 8º principal destino das exportações brasileiras. Com a chegada de Jair Bolsonaro ao poder, em 2019, esse comércio desabou para US$ 420 milhões. Apenas no ano passado, o Brasil voltou a vender acima dos US$ 1 bilhão.

Os números da Economia são dos primeiros seis meses do ano. Até junho, os alimentos e produtos agrícolas representaram vendas da ordem de US$ 713 milhões. Só o óleo de soja, representou US$ 120 milhões, enquanto os embutidos de carne, que estavam zerados, geraram US$ 54 milhões em receitas.

O açúcar também vem se recuperando e até julho, foram vendidos o equivalente a US$ 48 milhões. O comércio de milho, margarina e bolachas, têm crescido mês-a-mês.

Mas não são apenas as exportações que têm aumentado. O Brasil que não reconhece o governo de Nicolás Maduro, já importou US$ 176 milhões no primeiro semestre. Em 2019, quando Bolsonaro estava em seu primeiro ano de governo, foram apenas US$ 80 milhões.

Por Marcelo Rech

InfoRel

Imagem: CELAG

Share This