Presidente do Paraguai agradece postura do Brasil em acordo de Itaipu

por | ago 24, 2022 | 12h

O presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, agradeceu, nesta quarta-feira, 23, a postura do Brasil que permitiu aos dois países, firmarem um acordo em relação ao chamado Anexo C do Tratado de Itaipu. Para Benítez, o acordo assegurará investimentos e a completa industrialização do seu país. “O Paraguai pediu que não se aplicasse 100% do que diz o Tratado e o Brasil entendeu”, afirmou.

Mario Abdo Benítez reconheceu que o acordo firmado pelos dois países e que adotou uma tarifa intermediária entre o que cada um pretendia, favorece o seu país. “Tudo o que conseguimos acima de US$ 18 kW/mês, que era o que o Brasil queria, é um triunfo para o Paraguai”, destacou. A tarifa acordada ficou em US$ 20,75 kW/mês.

O presidente paraguaio lembrou que foram sete meses de negociações e que o país terá, agora, os recursos necessários para investir na modernização do seu sistema elétrico, bem como na recuperação de rodovias e em programas sociais que irão beneficiar milhares de famílias.

Uma das prioridades para Abdo Benítez é reposicionar o Paraguai como um país com energia disponível para a instalação de indústrias. Várias empresas brasileiras já atuam no lado paraguaio, atraídas pelos baixos impostos e a energia abundante e barata. O Paraguai tem acesso à energia produzida por duas binacionais, Itaipu, com o Brasil, e Yacyretá, que compartilha com a Argentina.

Ele recordou, ainda, que 2020 e 2021, foram os anos que mais se investiu no setor elétrico paraguaio, por meio da estatal ANDE. Foram mais de US$ 581 milhões para que o país pudesse atrair indústrias e empresas de vários setores, gerando empregos e renda interna.

Por outro lado, revelou que dois temas seguem pendentes com o Brasil. Um deles diz respeito a uma Nota Reversal para que o Paraguai possa vender o excedente de energia a preço de mercado. A outra, é sobre a construção de uma eclusa para melhorar o rendimento de Itaipu. Mario Abdo Benítez conclui seu mandato no próximo ano, quando serão realizadas eleições no Paraguai onde não há reeleição.

Por Marcelo Rech

InfoRel

Imagem: Joedson Alves

Share This