Chile convoca Embaixador do Brasil em Santiago para reclamar de Bolsonaro

por | ago 29, 2022 | 18h

Nesta segunda-feira, 29, a ministra das Relações Exteriores do Chile, Antonia Urrejola, convocou o Embaixador do Brasil em Santiago, Paulo Roberto Soares Pacheco, para reclamar das acusações feitas pelo presidente Jair Bolsonaro, ao presidente chileno Gabriel Boric, em debate televisivo realizado no domingo, 28.

Na oportunidade, Bolsonaro criticou o ex-presidente Lula (PT) pelo apoio que deu ao então candidato chileno que teria, segundo ele, sido responsável por incendiar o metrô de Santiago durante os protestos de 2019 naquele país. Para o governo chileno, as declarações “são inaceitáveis e não condizem com o trato respeitoso que devem os Chefes de Estado nem com as relações fraternas entre dois países latino-americanos”.

Durante o encontro, o Embaixador brasileiro receberá uma nota de protesto que será encaminhada ao Itamaraty. Para a ministra Urrejola, “a utilização política da relação bilateral com fins eleitorais, em base a mentiras, desinformação e tergiversação, corrói não somente o vínculo entre os nossos países, como também a democracia, prejudicando a confiança e afetando a irmandade entre os povos”, afirmou.

O Ministério das Relações Exteriores do Chile informou, ainda, que o presidente Boric já manifestou publicamente as diferenças que o separam do presidente brasileiro, ao mesmo tempo assinalando a importância de se manter – Brasil e Chile – boas relações entre os Estados.

“Para mais além dessas infelizes declarações, o Governo do Chile expressa sua convicção de que o nosso país e o Brasil têm não apenas uma história comum, mas também enormes desafios a enfrentar de forma colaborativa, razão pela qual espera continuar fortalecendo os laços permanentes de amizade e cooperação entre nossos países”, reforçou a chancelaria em nota.

No entanto, o Chile não está descontente apenas com o Brasil apenas pelas declarações mais recentes de Bolsonaro. O Chile espera do Itamaraty uma resposta sobre o seu indicado para o cargo de Embaixador em Brasília, Sebastián Depolo, há cerca de 150 dias.

A própria ministra de Relações Exteriores, em telefonema ao chanceler Carlos França, reclamou da demora. A tendência, no Itamaraty, é simplesmente não responder, forçando o governo chileno a indicar outro nome. Depolo é um ex-candidato de esquerda que se destacou, entre outras coisas, pelas críticas contra o presidente brasileiro.

Por Marcelo Rech

InfoRel

Imagem: Reuters

Share This