Aprovado o Projeto de Lei que permitirá a reciclagem de embarcações

por | nov 24, 2022 | 11h

O litoral brasileiro é, hoje, um grande depósito de navios abandonados, sendo um cemitério de embarcações, elevando, sobremaneira o risco dos demais barcos e navios que trafegam pela chamada Amazônia Azul

O texto do Projeto de Lei Nº 1.584/21, de autoria do deputado Coronel Armando (PL-SC), foi aprovado nesta quarta-feira, 23, pela CREDN, com o parecer do deputado General Girão (PL-RN). A expectativa é que o Brasil se torne no terceiro maior mercado de descomissionamento off-shore nos próximos dez anos.

Segundo o autor do PL, pelo menos 102 plataformas (31 flutuantes e 71 fixas) devem ser desativadas na próxima década no país. “Desde 2013 é noticiado que a Baia de Guanabara, porta de entrada de um dos portos mais importantes do Brasil possui inúmeras embarcações abandonadas, com aproximadamente 50 cascos”, revelou o deputado.

Já o relator, afirmou que “o ato de abandonar embarcações em portos e baías tem gerado impactos em diversas partes do mundo, podendo vir a causar naufrágios em locais não conhecidos ou mesmo parciais, colocando em risco toda e qualquer embarcação que por ali trafega, desde o pequeno pescador, aos grandes navios exportadores e a própria frota da Marinha”, pontuou o General Girão.

Uma das opções de aproveitamento dessas carcaças é a sua transformação em recifes artificiais, para atrair vida marinha. Outra opção é a indústria da reciclagem, que tende a ser uma atividade cativa para os estaleiros e a indústria de atendimento do setor, além de criar uma cadeia de serviços específica, principalmente para o setor siderúrgico, que demanda sucata ferrosa.

Por Marcelo Rech

InfoRel

Imagem: EPR

Share This