Adidos agrícolas discutem a promoção do agro brasileiro no exterior

por | nov 29, 2022 | 10h

Profissionais que já atuam ou vão atuar fora do país também visitaram o Porto de Santos, o aeroporto de Guarulhos e a Embrapa. Desde 2019, foram abertos 235 novos mercados para os produtos brasileiros, sendo 49 somente no ano de 2022.

Os ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e das Relações Exteriores, em conjunto com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) realizam nesta semana o 4º Encontro dos Adidos Agrícolas Brasileiros, com o objetivo de discutir temas técnicos relacionados a barreiras ao comércio, acesso a mercados, promoção comercial, sustentabilidade e imagem, ameaças e oportunidades para o agronegócio.

A ideia é que os adidos também interajam com os técnicos da Agricultura, diplomatas e com o setor privado, através de aproximadamente 300 atendimentos a cerca de 30 entidades setoriais, que tiveram interesse em se inscrever para dialogar com os adidos. Os profissionais atuam diretamente na abertura de mercados e na promoção de produtos do agro brasileiro no exterior.

Nesta segunda-feira, 28, na abertura do evento, o ministro da Agricultura, Marcos Montes, destacou a importância do trabalho dos adidos para a abertura de mercados do agronegócio brasileiro. “Nenhum governo vai se superar se não valorizar os nossos adidos lá fora”, disse, ressaltando que, desde 2019, foram abertos 235 novos mercados para os produtos brasileiros, sendo 49 somente no ano de 2022.

Ainda segundo o ministro, os principais desafios dos adidos agrícolas nos próximos anos será a segurança alimentar e a imagem do Brasil no exterior. “Não adianta estarmos aqui produzindo cada vez mais, batendo recordes, se nossa imagem lá fora fica deturpada em função de alguns países que não querem ver o Brasil competitivo”, advertiu.

Na semana passada, um grupo de 32 adidos agrícolas brasileiros que já atuam ou vão atuar fora do país visitaram o Porto de Santos, o aeroporto de Guarulhos, a Embrapa e empresas com exemplos de sistemas sustentáveis de produção em Lins.

Por Marcelo Rech

InfoRel

Imagem: Governo Federal / MAPA

Share This